Ações na Câmara Municipal beneficiam a Ciclomobilidade
Ações na Câmara Municipal beneficiam a Ciclomobilidade

Assunto bastante em alta, a ciclomobilidade tem sido foco de diversas ações em busca de melhorias para que possa se tornar uma alternativa viável à utilização de veículos a motor.
Sabendo de algumas dificuldades encontradas pelos praticantes do ciclismo, o vereador Cristiano Santos (PV), esteve a frente de solicitações em busca de melhorias para o velódromo da cidade (044.04607.2014). A reforma deste espaço público que muito contribui para a prática esportiva, lazer e com a formação de novos ciclistas, além de receber vários campeonatos, alguns a nível nacional e atletas que representam o nosso país em diversas modalidades.
Também cobrou agilidade nas obras de reparo da Ciclovia que liga o Parque São Lourenço ao Centro Cívico com o pedido de informações (062.00080.2016) questionando a responsabilidade sobre a obra realizada, se a empresa já havia sido notificada sobre o problema apresentado na obra e se custeado pelo munícipio. Pouco tempo passado o trecho defeituoso foi corrigido e readequado para que pudesse voltar a ser utilizado pelos ciclistas.
Após questionamento (062.00033.2014) sobre valores totais acumulados no ano com o sistema de estacionamento rotativo, o EstaR, foi um dos autores da lei que prevê o investimento de 20% da verba arrecadada em obras de ciclomobilidade pela cidade.
Anualmente cerca de 15 milhões de reais são arrecadados com o EstaR na cidade. Se desse total 20% forem destinados para a ciclomobilidade e mantidos os recursos destinados hoje a esta modalidade de transporte, haverá um aumento de 100% da verba passível de utilização em implantação e revitalização da infraestrutura cicloviária sem acréscimo de despesa ao município, além é claro dos benefícios que se somam ao reduzir o número de veículos automotores, poluentes e afins.
Foi também o idealizador da Pedalada Esquenta Curitiba que além de servir como incentivo ao uso da bicicleta, teve como objetivo arrecadar roupas, agasalhos, cobertas para a FAS (Fundação de Ação Social). O evento contou com mais de 400 pessoas.
Autor também da declaração de utilidade pública para a Federação Paranaense de Ciclismo (014.00040.2015). Com a declaração de utilidade pública a Federação, responsável pelos principais eventos realizados na cidade e no apoio de atletas regionais, fica isenta de contribuições destinadas à seguridade social e de pagamento de taxas em cartórios, podendo assim ampliar a atuação dedicada ao esporte e no incentivo ao uso da bicicleta como modal de transporte pela cidade.

Conecte-se